Menu

Introdução

Definição

A dismenorreia, também conhecida como dor menstrual, é uma dor em cólica nos quadrantes abdominais inferiores que surge durante a menstruação.

A dismenorreia primária é aquela que não tem qualquer problema de saúde associado. A dismenorreia secundária, por outro lado, surge quando há alguma doença pélvica associada.

Frequência

A prevalência da dismenorreia nas adolescentes pode atingir os 93%.

Causa

A dismenorreia primária é causada pela contração exagerada do músculo e das artérias do útero durante a menstruação.  

Sinais e sintomas

As adolescentes com dismenorreia primária vão referir uma dor abdominal inferior que pode irradiar ou não para o dorso ou membros inferiores e, ainda, lombalgias, cefaleias, sensação de cansaço, náuseas, vómitos, diarreia.

Os sintomas podem começar algumas horas antes do início da menstruação e durar 1 a 3 dias após o início da mesma. 

O que fazer

Nos casos mais simples, as queixas têm curta duração e cedem com calor local, exercíciou ou medicação.

Deve estar alerta no caso de surgirem outros sintomas/queixas, nomeadamente uma dor que não alivia com a medicação, sensação de desmaio/desmaio, corrimento com cheiro fétido, situações perante as quais deverá recorrer ao médico assistente.

Embora na maioria das jovens a dismenorreia seja primária, poderá ser necessário proceder a um exame físico e pedir exames auxiliares de diagnóstico para excluir outras patologias, quando não há resposta ao tratamento.

Tratamento

O tratamento de primeira linha da dismenorreia primária são os Anti-Inflamatórios Não Esteróides (AINEs), que podem ser iniciados 1 a 2 dias antes do início da menstruação nos casos mais graves e mantidos por 2 ou 3 dias após o início da mesma. 

Nas adolescentes que não respondem ou não toleram a terapêutica com AINEs, poderá ser iniciada a terapêutica com contraceptivos combinados, que, nas jovens sexualmente ativas, pode ser considerada uma medicação de primeira linha, uma vez que trata a dismenorreia e previne a gravidez não desejada.

Outras terapêuticas como os antibióticos ou a cirurgia estão reservadas para situações de dismenorreia secundária.

Evolução / Prognóstico

Modo geral, a resposta ao tratamento com AINEs e contracetivos combinados é boa. 

As adolescentes que não respondem à terapêutica, devem receber especial atenção no sentido de serem excluídas causas secundárias de dismenorreia, podendo ser necessária a observação por um ginecologista. 

Quanto ao prognóstico, tendo em conta que a idade, paridade, número de nados vivos e uso de contraceção oral são fatores relacionados com a prevalência da dismenorreia, é de esperar que esta diminua com o envelhecimento, o maior número de partos/nados-vivos e uso de contraceção oral. 

Prevenção / Recomendações

O consumo de frutas e vegetais parece estar relacionado com um redução do risco de dismenorreia, pelo que é recomendada uma dieta rica nestes alimentos. 

Parece haver uma correlação positiva entre o consumo de tabaco e o stress e a dismenorreia, pelo que se deve recomendar a cessação tabágica e diminuição de níveis de stress.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail