Menu

Introdução

Definição

A tripanossomíase americana, vulgarmente conhecida por Doença de Chagas ou Mal de Chagas, é causada pelo parasita Tripanosoma cruzi.

Frequência

Existe em vários países da América Central e do Sul, com elevada prevalência na Bolívia e no Brasil. Na referida região do globo terrestre estima-se em cerca de 8 a 10 milhões as pessoas afectadas por esta doença.

Devido às correntes migratórias, centenas de milhares de pessoas afectadas vivem actualmente fora do continente americano.

A Doença de Chagas causa aproximadamente 20 000 mortes por ano em todo o mundo.

Causa

O Tripanosoma cruzi é transmitido ao homem por um insecto, conhecido no Brasil por barbeiro, através das fezes que nele deposita enquanto faz a sua refeição de sangue.

O parasita penetra geralmente através das lesões provocadas na pele pela picada do referido insecto. A penetração pode também ocorrer através das mucosas.

Os outros possíveis meios de transmissão são: transfusão de sangue; de mãe para filho durante a gravidez; ingestão de comidas ou bebidas contaminadas; transplante de órgãos; exposição ocupacional em laboratórios ou em trabalhos nas florestas.

No corpo humano, o parasita multiplica-se dentro das células, invade os órgãos acabando por destruir, a longo prazo, os tecidos do coração e do aparelho digestivo.

O período que decorre entre a penetração do agente infeccioso e o aparecimento dos primeiros sintomas é, geralmente, de 5 a 14 dias. Mas nalguns casos pode durar meses.

Sinais e sintomas

Existem três fases distintas: aguda, latente e crónica.

A fase aguda, com sintomatologia em idade pediátrica, pode durar 1 a 3 semanas e é caracterizada por inchaço e dor no local da picada, dores musculares, manchas na pele, febre, falta de apetite, aumento do volume dos gânglios, baço e fígado, conjuntivite e inflamação à volta dos olhos, unilaterais (Sinal de Romaña - figs. 1 e 2) quando a entrada do agente infeccioso é por via ocular.

Fig.1 COLOCAR DESENHO 

Pode haver inflamação do coração ou do rim, e raramente, do cérebro, embora alguns infectados não apresentam manifestações da doença.

Após um período silencioso, que pode ser superior a 25-30 anos, cerca de trinta por cento dos infectados apresentam manifestações de doença crónica. Estas são consequência de lesões que se vão processando lentamente no esófago, cólon e coração e originam dificuldade em engolir, aspiração dos alimentos, pneumonia, prisão de ventre, distensão abdominal e perturbações cardíacas.

Tanto nos doentes agudos como nos crónicos pode ocorrer morte súbita por problemas cardíacos ou cerebrais.

O que fazer

Como confirmar a infecção

Na fase aguda: os parasitas podem ser observados, por microscopia, no sangue, líquido cefalorraquidiano e no aspirado de gânglio.

Na fase crónica: existem testes especiais fiáveis.

Doenças que se podem confundir com a Doença de Chagas:

  • Febre tifóide
  • Brucelose
  • Mononucleose infecciosa
  • Doença do Sono
  • Toxoplasmose
  • Doenças cardíacas provocadas por vírus ou por febre reumática.

Tratamento

Actualmente utilizam-se vários medicamentos. Mas nem sempre são eficazes e têm efeitos secundários consideráveis.

Evolução / Prognóstico

Se não for tratada, a doença é fatal.

Para minimizar as lesões crónicas provocadas pela Doença de Chagas é necessário apoio de várias especialidades - cirurgia, gastrenterologia, cardiologia e outras.

Prevenção / Recomendações

Educar e envolver toda a comunidade na prevenção, Mantendo vigilância apertada sobre todas as edificações e pulverizar imediatamente qualquer foco de infestação.

Proteger as habitações de entrada dos insectos transmissores, eliminando as brechas das paredes e coberturas, substituindo os telhados de colmo por chapas de zinco e colocando redes nas portas e janelas.

Combater os insectos transmissores por meio de pulverização, com insecticidas residuais adequados, de todas as casas e estruturas adjacentes e árvores (principalmente palmeiras) em que tenham sido detectados.

Viajantes em zonas endémicas devem evitar estadia em alojamentos precários e ingestão de alimentos e bebidas cuja segurança higiénica desconhecem.

Os bancos de sangue devem realizar análises para pesquisar eventual presença de Tripanosoma cruzi nos candidatos a dadores de sangue, que nasceram ou permaneceram em regiões onde este parasita é endémico. Todos aqueles que apresentam análises positivas não devem ser aceites como dadores.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail