Menu

Introdução

Definição

Adrenarca precoce define-se pelo aparecimento de pêlo púbico e/ou axilar, suor com cheiro intenso antes dos 8 anos nas raparigas e dos 9 anos nos rapazes.

É um dos diagnósticos mais comuns realizados em crianças observadas por suspeita de puberdade precoce.

Frequência

É mais frequente em raparigas do que em rapazes, numa proporção de 9:1.

Causa

É causada pela produção de androgénios (DHEA/DHEAS) por parte da glândula supra-renal mais cedo do que o habitual, por razões ainda mal conhecidas.

Sinais e sintomas

Manifesta-se pelo aparecimento de pêlo na região púbica e/ou axilar, suor com cheiro intenso, cabelo e pele oleosos, acne, corrimento vaginal e alterações do comportamento ou do humor. O suor com cheiro é um dos sintomas mais frequentes e geralmente o primeiro a aparecer. 

A ausência de desenvolvimento mamário nas raparigas e de aumento do pénis e dos testículos nos rapazes é característica desta patologia; a sua presença aponta para outras causas.

Esta patologia é mais frequente em crianças com excesso de peso/obesidade. Nalgumas crianças, sobretudo quando existe história de prematuridade e baixo peso ao nascer, pode associar-se ainda a outras situações como dislipidemia, síndrome do ovário poliquístico, diabetes mellitus tipo 2. 

O que fazer

Na presença destes sintomas, deve agendar uma consulta médica para o seu filho(a).

O médico irá avaliar, para além dos sintomas referidos anteriormente, o peso, altura, índice de massa corporal e a tensão arterial. Pesquisará também outros sinais de puberdade, nomeadamente o desenvolvimento mamário e dos genitais.

Serão depois realizadas análises de sangue, uma radiografia ao punho e eventualmente outros exames para excluir outras possíveis causas mais raras.

Caso os exames laboratoriais e/ou imagiológicos sejam inconclusivos ou suscitem dúvidas, o médico assistente deverá solicitar avaliação em consulta de endocrinologia pediátrica.

Tratamento

Se a história clínica, o exame físico e os exames realizados excluírem outras causas, é confirmado o diagnóstico de adrenarca precoce. Esta é uma situação aparentemente benigna que não requer tratamento específico. Podem ser utilizados desodorizantes no sentido de controlar o odor corporal.

Nos casos em que estejam presentes outras alterações (raparigas com baixo peso ao nascer, obesidade, história familiar de diabetes tipo 2, dislipidemia etc), a intervenção passa implementação de uma alimentação saudável e prática regular de exercício físico.

Evolução / Prognóstico

O médico poderá sugerir reavaliar a criança 3 a 6 meses após a primeira consulta no sentido de monitorizar a evolução das manifestações clínicas e do crescimento. 

Se após esta reavaliação, não houver sinais de alarme, poderá manter a vigilância regular no médico assistente ou ser ponderada uma reavaliação anual em consulta de endocrinologia pediátrica pelo possível aparecimento de outras patologias, nomeadamente síndrome do ovário poliquístico, dislipidemia ou diabetes mellitus tipo 2. 

O expectável é que a puberdade e a menarca (1ª menstruação) ocorram mais cedo que nas outras raparigas mas que a estatura final não seja comprometida. No entanto, nas raparigas nascidas com baixo peso, pode haver uma progressão mais rápida da puberdade com diminuição da estatura adulta final.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail