Menu

Introdução

Definição

A afecção vulgarmente conhecida por Doença do Sono tem como causa microorganismos conhecidos por tripanossomas africanos.

Há dois tipos de tripanossomas: O tripanossoma brucei gambiense, que predomina na África ocidental e central e o tripanossoma brucei rhodesiense, que predomina na África oriental e setentrional.

Frequência

Os tripanossomas africanos proliferam na região subsariana, afectando vários países da África, com maior incidência na República Democrática do Congo, Sudão, Uganda, Angola, Zâmbia, Moçambique e Tanzânia.

Causa

Em geral, a transmissão é feita por picadas de insectos vulgarmente conhecidos como moscas tsé-tsé mas, pontualmente, pode ser por transfusão de sangue contaminado, via sexual, transplante de órgãos ou mãe-filho durante a gravidez.

Entre a picada da mosca transmissora e o início dos sintomas decorre um intervalo de duas a três semanas, no caso do T. gambiense, e de uma a três semanas, no caso do T. rhodesiense.

Sinais e sintomas

As infecções por Tripanossoma brucei gambiense têm evolução crónica. Após inoculação do agente decorre um período sem sintomas, em que podem estar presentes apenas a lesão provocada pela picada da mosca e os gânglios aumentados de volume na região onde ocorreu a referida picada. Porém, meses ou anos mais tarde, surgem febre irregular, dores de cabeça, dores nas articulações e nos músculos, comichão, gânglios moles e indolores, frequentemente na região cervical, apatia, esquecimento, alterações de personalidade, tremores, dificuldade na marcha e psicose, evoluindo posteriormente para um estado de sonolência extrema, coma e morte.

Nos indivíduos infectados no primeiro ano de vida, em geral não é visível de imediato, qualquer sintoma específico da doença mas, mais tarde, são constatadas sequelas no Sistema Nervoso Central.

A Tripanossomíase por Tripanossoma brucei rhodesiense tem evolução aguda. Entre uma a três semanas após a picada da mosca, que deixa uma lesão que pode permanecer de duas a três semanas, surgem febre alta, calafrios, dores de cabeça, mal-estar geral, dores nas articulações e nos músculos e perda de peso, podendo também haver manchas na pele. Com frequência surgem também graves complicações cardíacas, cerebrais e de outros órgãos, que conduzem rapidamente à morte.

O que fazer

Situações que podem ser confundidas com Doença do Sono

  • Malária
  • Tuberculose
  • Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
  • Febre tifóide
  • Sífilis
  • Outras infecções.

A Doença do sono deve ser investigada em todo o paciente que, tendo como antecedente a permanência em sua zona endémica, apresente os sintomas e sinais acima descritos.

Tratamento

Existem vários medicamentos para combater os tripanossomas. Sua administração requer cuidados especiais devido aos assinaláveis efeitos secundários.

Evolução / Prognóstico

Se não for tratada, a Tripanossomíase por Tripanossoma gambiense pode evoluir para a cronicidade, com graves sintomas devido às lesões do Sistema Nervoso Central que conduzem à morte.

A tripanossomíase por Tripanossoma rhodesiense tem, geralmente, uma evolução fulminante. A morte ocorre devido a graves complicações cardíacas e do Sistema Nervoso Central.

Após o tratamento de qualquer dos dois tipos de tripanossomíase africana o paciente deve ser vigiado durante 2 anos.

Prevenção / Recomendações

Não existe vacina.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail