Menu

Introdução

Definição

Presença de ar no espaço pleural (espaço que fica entre o pulmão e a parede torácica), que leva à compressão  e colapso pulmonar.

Frequência

É pouco frequente. Tem um pico de incidência nos recém-nascidos (por prematuridade por exemplo) e um segundo pico entre os 16 e os 24 anos com predomínio no sexo masculino.

Causa

Pode ser espontâneo ou ocorrer associado a um traumatismo. O pneumotórax espontâneo pode ser primário (sem doença pulmonar prévia) ou secundário (associado a doença pulmonar de base). Os indivíduos altos, magros e fumadores têm maior risco de pneumotórax espontâneo primário.

Sinais e sintomas

Os sintomas dependem da quantidade de ar no espaço pleural, da idade do doente e da presença de doença pulmonar de base.

Se o pneumotórax for pequeno pode não dar sintomas. Se for grande pode dar falta de ar, dor no peito e ombro e tosse seca.

Se for muito grande designa-se pneumotórax hipertensivo e trata-se de uma emergência pois pode levar à morte.

O que fazer

Dirigir-se ao serviço de urgência.

Tratamento

O tratamento depende dos sintomas e do tamanho do pneumotórax avaliado através de radiografia. É sempre necessário o internamento hospitalar para vigilância e administração de oxigénio que ajuda a reabsorver o ar do espaço pleural.

Um pneumotórax pequeno muitas vezes resolve-se só com estas medidas.

Num pneumotórax grande pode ser necessário drenar o ar presente no espaço pleural através da colocação de uma agulha ou de um dreno; se tal não for suficiente pode ser necessária cirurgia com anestesia geral.

Pode ser ainda realizada pleurodese: trata-se de uma medida adicional que ajuda a prevenir episódios futuros de pneumotórax, através da colocação de uma substância no espaço pleural que “cola” o pulmão à parede torácica.

Evolução / Prognóstico

O prognóstico é geralmente bom, apesar das recorrências serem frequentes. A maioria das recorrências ocorre até um ano após o episódio inicial.

Prevenção / Recomendações

Evicção tabágica. Deve esperar o tempo recomendado pelo médico antes de voltar a fazer desporto, viagens de avião ou mergulho.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail