Menu

Introdução

Definição

Infeção causada pelo parasita chamado Plasmodium.

A transmissão é feita, quase na totalidade dos casos, por picada de mosquitos. Mas também pode ser por transfusão de sangue infetado, partilha de seringas ou por picada com agulhas contaminadas e acidentes com pessoal que trabalha em laboratórios de análises.

O tempo entre a picada do mosquito e a manifestação da doença pode ser de 7 a 40 dias.

Nalguns casos a doença pode repetir-se meses ou muitos anos depois da picada do mosquito transmissor.

Sinais e sintomas

Nas crianças pode haver febre alta, dor de cabeça, tosse, dificuldade respiratória grave, vómitos, diarreia, anemia, fraqueza extrema e convulsões.

Nos adultos os sintomas tanto podem surgir rapidamente, com febre alta, arrepios, suores, dor de cabeça, dificuldade respiratória grave, anemia, fraqueza extrema, convulsões e hemorragias, ou terem uma evolução lenta, com febre baixa, dor de barriga e de cabeça, dificuldade respiratória, enjoos, diarreia e dores no corpo.

Pode haver também malária crónica, que pode manifestar-se de várias formas como perda de peso, infecções frequentes por bactérias, ataques repetidos de malária na ausência de picada recente de mosquitos, barriga distendida, doença nos rins e doenças malignas.

Quando deve pensar em malária

Pensar em malária se adoecer com febre, dor de cabeça, dor do corpo, vómitos, diarreia, mal-estar e convulsões, sem causa aparente, se reside, ou caso tenha regressado de uma região onde exista a doença.

Tratamento

O paciente, assim que tiver os sintomas referidos acima, deve procurar imediatamente tratamento médico dirigindo-se a um centro de saúde, hospital ou a um profissional de saúde. Caso tenha regressado de uma região onde exista a doença deve passar essa informação ao médico.

Evolução / Prognóstico

Se a malária for tratada rápida e correctamente o doente melhora dentro de dias.

Nas crianças menores de 5 anos de idade a doença é geralmente mais grave e é causa importante de mortes, principalmente quando os cuidados de saúde locais são deficientes.

Prevenção / Recomendações

1. Para os habitantes de regiões onde existe malária:

  • usar mosquiteiros impregnados de insecticidas e permitir que as equipas de pulverização procedam à desinfecção das suas casas.
  • contribuir para destruição dos ambientes em que os mosquitos vivem e se reproduzem,
  • evitando deixar ao ar livre recipientes susceptíveis de acumular água, removendo e tratando o lixo caseiro e mudando e desinfectando as águas das piscinas segundo as normas instituídas pelas autoridades competentes.

2. Para os visitantes:

  • para evitar picada de mosquitos devem vestir roupa clara e de mangas compridas, usar repelentes e evitar permanência ao ar livre no início da noite e princípio da manhã.
  • começar a tomar os comprimidos que protegem contra a malária antes de viajar, e continuar a tomá-los após o regresso, seguindo rigorosamente as instruções do médico.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail