Menu

Introdução

Definição

Diz-se que há infecção de origem hospitalar quando um doente internado num hospital há mais de 72h fica com infecção que não estava em incubação quando foi internado.

Frequência

A frequência depende da idade do doente, do tipo de doença que tem e do tipo de enfermaria onde é internado. As crianças muito novas, recém-nascidos, crianças com doenças que condicionem menores defesas do organismo contra as infecções, os doentes com queimaduras extensas, os doentes internados em unidades de cuidados intensivos, com necessidade de ventilação e de um cateter numa veia são muito susceptíveis às infecções hospitalares.  Se o seu filho fizer parte de um destes grupos o médico assistente falará consigo na altura da admissão e explicar-lhe-á o risco e os cuidados a tomar para evitar este tipo de infecções. As infecções mais comuns nas crianças são as do sangue e as respiratórias mas podem ocorrer também infecções urinárias.

Causa

As infecções hospitalares são habitualmente causadas por bactérias do próprio hospital. Como há muitos doentes e se prescrevem muitos antibióticos essas bactérias podem ser resistentes aos antibióticos habitualmente utilizados.

Sinais e sintomas

Os sintomas são iguais aos de outras infecções. O seu filho pode ficar com febre, falta de apetite e perceberá logo que ele está doente.

O que fazer

Se perceber que o seu filho está doente e a/o Enfermeiro ainda não começou a prestar-lhe os cuidados diários habituais deve dizer-lhe que acha que ele não está bem.

Tratamento

O médico do seu filho é quem melhor sabe como tratar a infecção adquirida no hospital. Confie e fale abertamente com ele.

Evolução / Prognóstico

Diagnosticada e tratada com os antibióticos adequados, é de esperar que a infecção de origem hospitalar seja debelada e que o seu filho fique bem. Contudo, por causa dessa infecção, o internamento hospitalar pode ter de ser prolongado ou outras intervenções, tratamentos ou exames adiados. As crianças muito pequenas e os recém-nascidos podem não conseguir sobreviver a infecções hospitalares muito graves. 

Prevenção / Recomendações

Colabore com o pessoal de saúde na prevenção da infecção hospitalar. Lave as mãos quando chega à enfermaria seguindo as indicações dos folhetos que se encontram por cima de cada lavatório. Lave-as frequentemente ou desinfecte-as com o soluto de base alcoólica que se encontra junto dos lavatórios. Não mexa nos utensílios de outras crianças. Cada criança tem no hospital um pai ou uma mãe ou ambos. Não substitua o pai ou mãe de outra criança nem peça a outro pai ou mãe para cuidarem do seu filho quando não está presente. Cada criança tem as suas próprias bactérias que podem ser diferentes das de outras crianças.

Se o seu filho ficou infectado ou está colonizado com uma bactéria resistente aos antibióticos habituais, quer dizer, que tem a bactéria com ele mas esta não está a provocar doença, podem pedir-lhe que vista uma bata e use luvas para tratar do seu filho. Siga as indicações que o pessoal de saúde lhe der.

Se é mãe de um recém-nascido ou lactente pequeno que ainda amamenta é muito importante que esteja junto dele na enfermaria e que continue a amamentá-lo enquanto ele está internado. Quando sair do hospital em qualquer situação, não se esqueça de lavar também as mãos.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail