Menu

Introdução

O nome deve-se à presença de icterícia, embora nem todos os casos apresentem este sintoma. Ocorre na África Subsaariana e na América do Sul.

É causada por um vírus transmitido por picada de mosquitos.

O período entre a picada do mosquito infectado e aparecimento dos sintomas é de 3 a 6 dias.

Sinais e sintomas

Febre, calafrios, dor muscular, náusea, vómitos e conjuntivite de início súbito.

Na maioria dos doentes esta primeira fase melhora dentro de 3 a 4 dias. 

Cerca de 24h após estes sintomas terem passado, em aproximadamente 15% dos doentes, a doença volta com maior intensidade – febre muito alta, icterícia, dor da barriga, diarreia, hemorragia, desidratação grave, baixa de tensão arterial, mau funcionamento dos rins, delírio e coma.

Se um doente com sintomas graves não for tratado rapidamente, a morte pode ocorrer dentro de 7 a 10 dias.

Grande fraqueza pode permanecer semanas ou meses, mas geralmente a doença não deixa sequelas significativas.

Muitos infectados apresentam apenas leves sintomas, que passam no fim de alguns dias.

Tratamento

Nenhum medicamento combate o vírus.

O doente deve ser internado para fazer oxigénio, soros pela veia e aspiração do estômago.

A febre deve ser combatida com paracetamol. Não usar aspirina, brufen ou medicamentos semelhantes.

Pode ser necessária transfusão de sangue.

Prevenção / Recomendações

Quando a doença está presente numa região, os residentes e visitantes devem evitar permanência ao ar livre durante o dia, principalmente ao meio da manhã e o fim da tarde, altura em que o mosquito que o transmite está mais activo.

Usar repelentes de mosquitos.

As populações devem colaborar com as autoridades para tornar possível eliminar os mosquitos: 1.permitindo pulverização das casas e locais de trabalho; 2. contribuindo na destruição dos locais onde os mosquitos se desenvolvem (drenagem de pântanos, redução de ervas que impedem livre circulação de cursos de água, tratar correctamente os lixos e não deixar ao ar livre pneus velhos, bidões e barris que podem acumular água).

Seguir as instruções das autoridades no que diz respeito às vacinações, atendendo a que existe vacina eficaz contra a Febre amarela.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail