Menu

Introdução

Definição

A febre é uma resposta do organismo a uma grande variedade de fatores.

Considera-se febre a subida de, pelo menos, 1°C acima da média da temperatura basal diária individual, em função do local de medição.

Na ausência do conhecimento da temperatura basal individual, considera-se febre perante os seguintes valores medidos de temperatura: Rectal> 38º C; Axilar> 37,6º C, Timpânica> 37,8º C (só acima dos 3 anos) e Oral> 37,6ºC (a partir dos 5 anos).

A sensação de febre ao toque deve ser confirmada por um termómetro. Em crianças os termómetros digitais são os mais aconselhados. Os termómetros de vidro têm maior risco de partir e, por isso, não devem ser utilizados.

Frequência

A febre é um dos sintomas mais frequentes e um dos principais motivos que leva os pais a procurarem ajuda médica urgente.

Causa

A febre, por si só, não é uma doença. Trata-se de uma manifestação do organismo, decorrente do combate às infeções. As viroses são responsáveis pela grande maioria dos episódios febris e duram, em média, 4 dias completos (e 5 dias, ou mais, em 30% dos casos).

Sinais e sintomas

A febre está muitas vezes associada a outros sintomas: respiratórios (“pingo no nariz”, tosse, dor de ouvidos ou de garganta), gastrointestinais (vómitos, diarreia) ou outros como dor a urinar, arrepios ou dores musculares.

Numa criança com febre, mais importante do que a elevação da temperatura é o estado geral dela, ou seja, se come, brinca e está ativa.

Sinais ”tranquilizadores”

A criança brinca e tem atividade normal; come menos mas não recusa os líquidos; sorri; acalma ao colo e fica com um comportamento quase habitual.

“Sinais de alerta”

  • Sonolência excessiva ou incapacidade em adormecer;
  • Irritabilidade e / ou gemido mantido; choro inconsolável;
  • Convulsão;
  • Aparecimento de manchas na pele nas primeiras 24 a 48 horas de febre;
  • Respiração rápida com cansaço;
  • Vómitos repetidos entre as refeições;
  • Recusa alimentar completa superior a 12 horas; sede insaciável;
  • Dificuldade em mobilizar um membro ou alteração na marcha;
  • Urina turva e / ou com mau cheiro;
  • Febre com duração superior a 5 dias completos.

O que fazer

Na maioria das situações a causa é benigna. Se a criança tem febre mas consegue brincar, comer e beber a situação pode ser vigiada em casa.

No entanto há casos em que as crianças devem ser avaliadas por um médico:

  • Se idade inferior a 3 meses de idade (de idade corrigida se nasceu prematura);
  • Se idade inferior a 6 meses com temperaturas iguais ou superiores a 40,0°C;
  • Se tiver temperaturas axilares superiores a 40,0°C ou retais superiores a 41,0°C;
  • Na presença de um ou mais “sinais de alerta”
  • Se tem uma doença crónica grave;
  • Se tem febre há 5 ou mais dias, ou se a febre reaparecer após 2 a 3 dias de temperaturas normais.

Tratamento

Oferecer líquidos (leite ou água), adequar o vestuário à sensação de frio ou de calor; respeitar o apetite;

Se está desconfortável, pode ser dada medicação como o paracetamol ou ibuprofeno para baixar a temperatura corporal. A dose da medicação é dependente do peso da criança e deve ser verificada regularmente por um profissional de saúde.

Em crianças a aspirina não deve ser utilizada e os antigripais e antitússicos disponíveis não são aconselhados.

O tratamento da febre (antipiréticos) não encurta a duração da febre nem contribui para a resolução da doença causal; se a temperatura não voltar ao normal após a administração dos antipiréticos, só por si, não é sinal de gravidade desde que baixe de 1,0º a 1,5º C;

Na fase de subida da febre o arrefecimento (com banho, compressas húmidas, álcool ou ventoinhas) está desaconselhado: não contribui para o controlo da doença, nem para o bem-estar da criança.

Prevenção / Recomendações

Na presença de febre não é aconselhável a ida ao infantário/escola. A criança poderá voltar à atividade normal após 24 horas sem febre.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail