Menu

Introdução

Definição

A Encefalite japonesa é uma doença infecciosa do Sistema Nervoso Central, causada por um vírus pertencente à mesma família dos vírus que causam Febre Amarela, Dengue e muitas outras doenças humanas.

Frequência

Ocorre na Ásia. Surtos têm ocorrido no Norte da Austrália e nas ilhas do Pacífico.

O seu maior factor de risco é a permanência em zona rural, onde a maior parte das crianças menores de 10 anos são infectadas.

A infecção ocorre geralmente nas crianças de 2 a 10 anos de idade o que faz com que a maioria dos adultos já esteja imune à doença.

Causa

A doença resulta da inoculação de um vírus que é transmitido pelo mosquito Culex. 

O risco de infecção é mais alto nos locais onde o mosquito Culex encontra o seu melhor ambiente de reprodução - zonas rurais com terrenos alagados para cultivo de arroz, ou qualquer outro local com água estagnada.

Nas regiões onde a taxa de vacinação é actualmente alta nos primeiros anos de vida, a infecção passou a predominar na população mais idosa. 

O período entre a picada do mosquito transmissor e as manifestações da doença é de 4 a 16 dias.

Sinais e sintomas

A doença tem início súbito, com febre alta, dores de cabeça, prostração, dor abdominal e vómitos.

Dias depois surgem agitação, delírio, paralisia facial, fraqueza muscular, paralisia flácida, dificuldade de marcha, tremores, movimentos involuntários lentos dos membros e doutras partes do corpo, rigidez da nuca, olhar fixo e convulsões, e o doente pode entrar rapidamente em coma.

Mais de 95% dos indivíduos infectados não apresentam qualquer alteração do estado de saúde.

Doenças que se podem confundir com Encefalite japonesa:

  • Meningites
  • Abcesso cerebral
  • Outras encefalites virais
  • Raiva      
  • Poliomielite
  • Malária

O que fazer

Em face de suspeita de Encefalite japonesa, deve ser observado com urgência por um profissional de saúde.

Tratamento

Casos graves devem ser internados em Unidade de Cuidados Intensivos.

Na falta de Unidade de Cuidados Intensivos, o doente deve ser internado em unidades hospitalares dotadas das melhores técnicas possíveis, de preferência com técnica de ventilação assistida.

Dos vários medicamentos ensaiados para combater o vírus da Encefalite japonesa, nenhum demonstrou eficácia.

Evolução / Prognóstico

Nos casos graves a morte pode ocorrer rapidamente. A taxa de mortalidade pode ultrapassar os 25%, mesmo em Unidade de Cuidados Intensivos.

Casos ligeiros começam a registar melhoras no fim de 1 semana.

Recuperação neurológica pode levar anos e deixar sequelas psicossociais em mais de 50% das crianças afectadas.

Podem surgir escaras e infecções bacterianas secundárias.

Grávidas infectadas no segundo ou terceiro trimestre de gravidez têm grandes probabilidades de abortar.

Prevenção / Recomendações

Existe vacina eficaz contra a encefalite japonesa que deve ser evitada durante a gravidez.

A prevenção passa também por:

  • Combater os mosquitos transmissores da doença pulverizando com insecticidas o interior e as zonas circundantes às habitações;
  • Usar mosquiteiros impregnados com insecticidas;
  • Usar repelentes de insectos;
  • Drenar os pântanos e evitar acumulação de água em pneus abandonados ou em qualquer recipiente deixado ao ar livre;
  • Combater as plantas aquáticas susceptíveis de reter água;
  • Evitar o máximo possível a permanência ao ar livre nas horas em que o mosquito está mais activo, geralmente ao amanhecer e ao entardecer.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail