Menu

Introdução

A doença das membranas hialinas (DMH) é uma patologia pulmonar que afeta sobretudo recém-nascidos (RN) pré-termo, principalmente aqueles que nascem com peso inferior a 1000 gramas. É devida a deficiente produção de surfactante por imaturidade pulmonar.

O surfactante é uma substância que é produzida dentro dos alvéolos pulmonares e que permite que estes funcionem bem durante a respiração. Na ausência desta substância os alvéolos tendem a não se abrir tão facilmente e o ar que o recém-nascido inspira não consegue entrar nos alvéolos, pelo que o RN fica com “falta de ar”. 

A doença manifesta-se por dificuldade respiratória de grau variável. A DMH tende a ser tanto mais grave quanto mais pequena a criança e quanto mais baixa for a sua idade gestacional.

As grávidas em risco de parto pré-termo devem, sempre que possível, efetuar  um tratamento com corticosteroides, administrado antes de o bebé nascer, para promover a maturação pulmonar fetal de modo a que a DMH seja menos grave após o nascimento do bebé.

Evolução / Prognóstico

Logo após o nascimento os médicos utilizam aparelhos que ajudam o RN a respirar e é possível administrar surfactante nos pulmões, através de um tubo introduzido na traqueia. Este medicamento é extraído de animais e trabalhado pela indústria farmacêutica, e é utilizado para suprir a deficiência em surfactante dos grandes prematuros.

É frequente, também, o RN necessitar de oxigénio.

Nos casos mais graves o RN pode ter de ficar a respirar com ajuda de um ventilador durante vários dias. 

Grávidas com elevado risco de parto pré-termo, com menos de 28-30 semanas de idade gestacional, devem ser transferidas para um centro com cuidados perinatais diferenciados.

Os principais determinantes da evolução destes RN, são a vigilância da gravidez e a administração de corticoterapia, o local de nascimento (com ou sem cuidados perinatais diferenciados), a idade gestacional e o peso ao nascimento.

O prognóstico é geralmente bom.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail