Menu

Introdução

Definição

A cianose é a coloração azulada da pele e das mucosas.

Frequência

É um sintoma/sinal clínico frequente na idade pediátrica.

Causa

Pode estar associado a várias doenças, algumas delas com risco de vida.

A hemoglobina é a substância do sangue responsável pelo transporte de oxigénio. Quando esta está ligada ao oxigénio chama-se oxi-hemoglobina e tem cor vermelho vivo. Pelo contrário, quando liberta o oxigénio nos tecidos do corpo humano, volta à sua forma reduzida e tem uma cor azul.

A cianose pode ser classificada em dois tipos: periférica e central.

A cianose periférica é aquela em que apenas a pele apresenta uma coloração azulada, permanecendo rosadas a língua e a mucosa oral. A causa mais frequente de cianose periférica é a exposição ao frio, que provoca uma constrição da circulação nos tecidos periféricos do nosso corpo (mãos e pés). Esta situação é transitória, reverte com o aquecimento e não requer tratamento médico. Pode ser causada por doenças  como tromboses periféricas, doenças do sangue com elevada quantidade de hemoglobina (policitemia), infeções generalizadas (sépsis), falência cardíaca ou doença de Raynaud.

Na cianose central, tanto a pele como a língua e a mucosa oral apresentam uma coloração azulada, porque há uma descida da quantidade de oxigénio no sangue que circula pelo corpo (circulação sistémica). Nesse caso, as principais causas são:

  • Doenças cardíacas em que haja desvio da passagem do sangue pelos pulmões, indo directamente para a circulação sistémica;
  • Doenças pulmonares, as quais podem ser infecciosas (pneumonia) ou alterações da sua estrutura (hérnia diafragmática, malformação adenomatóide);
  • Doenças que levam a alterações das vias aéreas superiores como a atrésia das coanas, retrognatismo, laringomalácia, estenose traqueal e paralisia das cordas vocais;
  • Doenças neurológicas que interferem no mecanismo respiratório, levando a que os pulmões não ventilem adequadamente e, por esse motivo, haja pouco oxigénio na circulação sanguínea. Pode ocorrer na hemorragia intracraniana, edema cerebral, infecção do sistema nervoso centra e doenças musculares;
  • Doenças com interferência na expansão torácica como o pneumotórax, derrame pleural, distensão abdominal, escoliose grave, obesidade e hipoplasia pulmonar;
  • Doenças do sangue que impossibilitam a ligação do oxigénio a hemoglobina, denominadas hemoglobinopatias, nomeadamente a metemoglobinémia.

Sinais e sintomas

A cianose pode estar associada a vários sintomas dependendo da doença de base que a está a causar.

Na cianose central de causa pulmonar, as crianças podem estar agitadas, apresentar quadro de tosse, rouquidão, sinais de dificuldade respiratória como respiração acelerada e retração dos músculos que auxiliam a respiração. Perante uma causa infeciosa, a criança pode apresentar febre.

Na cianose central de causa cardíaca, a maioria manifesta-se nos recém-nascidos nas primeiras horas de vida. A clinica depende da cardiopatia congénita cianótica de base, podendo a criança não apresentar nenhum sinal para além da cianose.

O que fazer

No caso da criança apresentar cianose, é importante diferenciar se é periférica ou central. Se for periférica, devemos excluir as causas que não implicam tratamento médico imediato. Por exemplo, se reverter com o aumento da temperatura corporal provavelmente estamos perante uma cianose de exposição ao frio. Pelo contrário, perante uma cianose central, a criança deve ser observada com urgência por um médico.

Tratamento

De acordo com a etiologia.

Evolução / Prognóstico

De acordo com a etiologia.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail