Menu

Introdução

Definição

O atraso pubertário consiste na ausência de aumento do volume testicular (<4 ml) nos rapazes aos 14 anos e na ausência de desenvolvimento de botão mamário, nas meninas aos 13 anos de idade cronológica.

Frequência

Afeta cerca de 2-3% dos adolescentes, sendo igual em ambos os sexos.

 
Causas

O atraso fisiológico também denominado atraso constitucional da maturação, é a principal causa de atraso pubertário (53% dos casos), seguindo-se as causas funcionais por doença sistémica (por exemplo: asma, doença celíaca, doença intestinal inflamatória, doença renal crónica, anorexia nervosa, má nutrição, excesso de treino físico).

O atraso pubertário pode ser de causa central (secundária), sendo as causas mais frequentes as doenças infiltrativas intracranianas, síndromes genéticos, traumatismos ou drogas.

Devemos ainda considerar as causas periféricas (primárias) devidas apatologia dos ovários ou testículos (insuficiência gonadal), tais como o Síndrome de Turner, Síndrome de Klinefelter, lesão ou malformação dos órgãos genitais.

Sinais e sintomas

Manifesta-se pela ausência de desenvolvimento mamário nas raparigas e dos genitais nos rapazes. A velocidade de crescimento, deve ser também avaliada.

Deve pesquisar-se a presença de pêlo na região púbica e/ou axilar, suor com cheiro intenso, cabelo e pele oleosos, acne, corrimento vaginal e alterações do comportamento ou do humor.

É importante ainda valorizar dificuldades de aprendizagem, atrasos do desenvolvimento psicomotor, sinais de dismorfias, assim como a presença de doenças crónicas e/ou medicação prolongada.

O que fazer

Na ausência do desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários na adolescência, deve agendar uma consulta médica para o seu filho(a), com o pediatra.

O médico irá realizar uma avaliação rigorosa do estadio de desenvolvimento pubertário,permitindo identificar a existência ou não de caracteres sexuais secundários ao desenvolvimento pubertário e  desvalorizados pelo adolescente e pelos pais.

Serão ainda avaliados o peso, altura, índice de massa corporal e a tensão arterial.

Para o diagnóstico poderá ser necessário realizar análises de sangue, radiografia do punho (avaliacão da idade óssea), ecografia pélvica/ testicular. Se se confirmar atraso pubertário deverá ser avaliado em consulta de endocrinologia pediátrica para orientação

Tratamento

O início e o tipo de tratamento devem ser individualizados, caso a caso, dependendo da causa subjacente e das repercussões clínicas e psicossociais.

Na maior parte dos casos de atraso fisiológico ou atraso constitucional da maturação, acompanhado de diminuição da velocidade do crescimento, não será necessário tratamento, sendo, essencial o esclarecimento do adolescente e pais, mantendo-se a vigilância clínica. Em situações específicas, em particular no sexo masculino, poderá estar indicado fazer a indução da puberdade.

Se o atraso pubertário está associado a doença crónica, o tratamento da doença subjacente conduz a uma recuperação espontânea do eixo hipotálamo-hipófise, com consequente puberdade espontânea. O mesmo ocorre nas situações de má nutrição, anorexia nervosa, fome ou exercício físico excessivo.

Tanto nos casos de ausência da puberdade de causa central, como por doenças do ovário ou testiculo, é necessário um tratamento hormonal de substituição com esteroides sexuais a longo prazo.

A indução hormonal da puberdade deverá ser efetuada em consulta de endocrinologia pediátrica, Nos rapazes,  deve ser iniciada   com idade cronológica superior a 14 anos e idade óssea superior a 12,5 anos. Nas raparigas, deve ter inicio com idade cronológica superior a 12 anos.

Evolução / Prognóstico

O prognóstico no atraso pubertário está principalmente correlacionado com a causa subjacente

Os casos de atraso pubertário temporário (atraso fisiológico / atraso constitucional da maturação, doença crónica, desnutrição, ou prática de exercício físico intenso), têm bom prognóstico se houver melhoria da doença de base, recuperação nutricional  ou diminuição da intensidade do exercício,  podendo  alcançar um desenvolvimento pubertário  adequado.

Os doentes com uma causa subjacente permanente, quer de causa periférica (síndrome de Turner, Klinefelter), ou central (cirurgia prévia à glândula pituitária, radioterapia, etc) requerem tratamento substitutivo hormonal a longo-prazo. Este tratamento promove o desenvolvimento dos carateres sexuais secundários completo, até ao estadio do adulto.

A fertilidade está comprometida nos casos em que a causa está relacionada com alterações na função dos ovários ou testículos. Nos atrasos pubertários de causa central, nomeadamente hipotálamo ou hipófise, a fertilidade pode estar conservada se houver uma intervenção hormonal adequada e precoce.

Prevenção / Recomendações

Durante a avaliação da puberdade, é importante averiguar as eventuais repercussões psicossociais do atraso pubertário na vida destes jovens e suas famílias. A indução pubertária deve ser realizada sob orientação médica especializada para garantir uma estrogenização ou androgenização adequadas e evitar efeitos secundários nomeadamente excesso de virilização ou perturbações do crescimento normal.

Saber Mais

Puberdade. Doença celíaca. Doença crónica. Hipotiroidismo. Síndrome de Turner. Atraso Crescimento

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail