Menu

Introdução

Definição

Infecção da pele muito perto do ânus com formação de pus.

Frequência

É muito frequente em crianças que usam fralda. É mais frequente nos rapazes.

Se surge em crianças maiores, pode ser um primeiro sinal de outras doenças, como a doença inflamatória intestinal ou doenças da imunidade, como sucede na leucemia ou na SIDA.

Causa

Em crianças pequenas, geralmente deve-se à infecção de uma fissura anal. Pode também iniciar-se, à semelhança do que sucede nos adultos, com uma infecção mais profunda, a nível do recto, que progride para a pele, dando origem ao abcesso.

Sinais e sintomas

Inicialmente surge uma zona de pele junto ao ânus mais vermelha e inchada, que é dolorosa quando se toca e fica cada vez maior, podendo estender-se até à nádega. Nos dias seguintes, poderá surgir febre. Se se deixar evoluir sem qualquer tratamento, surge um orifício na pele por onde sai grande quantidade de pus, aliviando bastante os sintomas.

O que fazer

Assim que surgir o inchaço vermelho e doloroso junto ao ânus, deve recorrer a um profissional de saúde que saberá qual o melhor tratamento para esse caso, consoante a localização e o grau de evolução do abcesso. Não deve aguardar que melhore sem tratamento, porque geralmente apenas piora com o passar do tempo.

Em alguns casos é recomendável fazer alguns exames para saber se há uma causa para o abcesso anal, principalmente em crianças maiores ou adolescentes, mas um profissional de saúde saberá quando recomendá-los.

Tratamento

O abcesso anal é tratado inicialmente com antibiótico em xarope durante 5 a 7 dias.

No caso de recém-nascidos, bebés com outras doenças, infecções muito graves ou em vários locais ou quando a criança não consegue tomar o xarope, pode ser proposto o internamento hospitalar para administrar o antibiótico directamente numa veia, e assim fazer melhor efeito.

Por vezes, o abcesso cura apenas com o antibiótico, mas frequentemente, mesmo tomando o antibiótico, é necessário fazer a drenagem do abcesso uns dias depois. Esta consiste em fazer um pequeno corte na pele para deixar sair o pus que está dentro do abcesso. Isto pode ser feito com anestesia local (aplicando um produto na pele que diminui a dor) ou com anestesia geral, dependendo da gravidade e da localização do abcesso. Nestes casos, será necessário realizar penso diariamente até à cicatrização completa.

Evolução / Prognóstico

Um abcesso medicado com antibiótico pode curar completamente em 7 a 14 dias. Se necessitar de drenagem ou se sair pus espontaneamente também cicatriza em 7 a 14 dias após a drenagem, necessitando efectuar pensos durante esse tempo.

Em alguns casos, principalmente se não houver cuidados de higiene local, ou em crianças maiores, os abcessos, após drenagem, podem não curar completamente e manter um orifício na pele por onde sai pus (fístula perianal).

Prevenção / Recomendações

Bons hábitos de higiene são importantes na prevenção dos abcessos perianais, principalmente nas crianças que ainda usam fralda, quando esta doença é mais frequente.

As informações da Pedipedia não substituem nem devem adiar a consulta pessoal com um profissional de saúde qualificado.

Mais informações.

Deseja sugerir alguma alteração para este artigo?
Existe algum tema que queira ver na Pedipedia?

Envie as suas sugestões

Newsletter

Receba notícias da Pedipedia no seu e-mail